5 filmes de ficção especulativa para conhecer a Escotilha NS

5 filmes de ficção especulativa para conhecer a Escotilha NS

Nós aqui da Escotilha sabemos que uma das primeiras perguntas que vêm à mente de quem se depara com um clube de assinatura é “mas será que vou gostar do que vou receber?”.

E apesar de uma das coisas mais bacanas desse tipo de iniciativa ser o ato de descobrir algo inesperado, ter contato com aquilo que não esperávamos, com paradigmas diferentes daqueles com os quais já estamos acostumados, também sabemos que se trata de um questionamento válido, afinal você estará investindo em uma proposta nova e recebendo frequentemente uma série de itens que precisarão ser aproveitados por você para não correr o risco de bater aquela sensação de que não valeu a pena.

Pensando nisso, ao longo do mês de março vamos publicar aqui uma série de posts que ajudarão a entender melhor as nossas referências da ficção especulativa para que você possa nos conhecer cada vez mais e, assim, imaginar o tipo de livro que poderá receber em nossas caixas-pretas. São dicas de filmes, séries, livros e quadrinhos que nos inspiraram e continuam a nos inspirar por sua inventividade, originalidade e pioneirismo, mas, acima de tudo, por suas ótimas histórias. É claro que nós sempre vamos tentar surpreender você, porque esse é um dos nossos objetivos, mas ter boas referências é sempre válido, não é mesmo? Então comecemos com os nossos filmes preferidos do gênero!

Atenção: embora os itens estejam numerados, os filmes foram elencados aleatoriamente, sem qualquer espécie de ranking, ok?

Reprodução

1. “Alien: o Oitavo Passageiro” (1979)

Neste Dia Internacional da Mulher, não poderíamos começar com outro filme. “Alien: o Oitavo Passageiro” é a obra que ajudou a criar o gênero da ficção científica no cinema, bem como um clássico também do terror, e com uma das protagonistas femininas mais badass de Hollywood, Ellen Ripley (Sigourney Weaver), numa época em que esse tipo de discussão era extremamente velada. O filme conta a história de uma nave espacial que, ao retornar para Terra, recebe estranhos sinais vindos do espaço. Enquanto a equipe investiga o local, um dos tripulantes é atacado por um misterioso ser e o que parecia ser um ataque isolado se transforma em um terror constante, pois o tripulante atacado levou para dentro da nave o embrião de um alienígena, que não para de crescer e tem sede por matar toda a tripulação. Com cenas icônicas, a obra foi dirigida por Ridley Scott, que retornaria à franquia em 2012, com “Prometheus”, e em 2017, com “Alien: Covenant”, após ver o seu filme original se tornar uma franquia com três sequências (de qualidade duvidosa, é verdade, mas isso é assunto para outra conversa…).

Reprodução

2. “O Silêncio dos Inocentes” (1991)

Ok, acho que esta lista poderia ser das protagonistas mais badass do cinema também, porque “O Silêncio dos Inocentes” traz mais uma mulher que entrou para a história, uma vez que é protagonizado por Clarice Starling (Jodie Foster). Baseado no livro de Thomas Harris, o filme começa quando Starling, uma das melhores estudantes da academia de treinamento do FBI, é chamada por Jack Crawford, chefe da seção de Ciência do Comportamento. Ele quer que Clarice entreviste o Dr. Hannibal Lecter (Anthony Hopkins), um psiquiatra brilhante e também um psicopata violento, que cumpre prisão perpétua por vários atos de assassinato e canibalismo. O objetivo é entender e parar Buffalo Bill, um serial killer cruel que ataca mulheres e corta suas peles, com o desejo de construir um corpo feminino para si mesmo. Dirigido por Jonathan Demme, “O Silêncio dos Inocentes” foi um dos poucos filmes a entrar na seleta lista de vencedores dos principais prêmios do Oscar (melhor filme, melhor diretor, melhor atriz, melhor ator e melhor roteiro adaptado), perpetuando personagens e transformando-se num verdadeiro clássico da ficção especulativa.

Reprodução

3. “Super 8” (2011)

Alguns filmes são verdadeiros espetáculos de grandes realizadores do cinema. Este é um desses casos. E não poderia ser diferente, pois “Super 8” foi dirigido por J.J. Abrams e produzido por Steven Spielberg, resultando numa experiência que começou muito antes de o filme ser exibido nos cinemas, com o clima de mistério plantado no público assim como o vivido pelos personagens no longa. A história se passa no verão de 1979, em Ohio, e é protagonizada por um grupo de jovens que testemunha uma catastrófica colisão de um trem de carga com uma caminhonete. Eles registram tudo com uma câmera Super 8, com a qual estavam tentando fazer um filme, mas quando misteriosos desaparecimentos começam a acontecer, os amigos descobrem que a tragédia não foi um acidente e por trás dela existe um grande terror a ser enfrentado. Cheio de referências, easter eggs e muito lens flare, o filme é uma ode a outros clássicos, como “Os Goonies”, e à ficção especulativa e sua atmosfera como um todo.

Reprodução

4. “Psicose” (1960) e “O Iluminado” (1980)

Temos aqui dois filmes de Stanley Kubrick definidores do terror. Em “Psicose”, acompanhamos mais uma mulher icônica do cinema (Janet Leigh, vivida por Marion Crane), que após roubar 40 mil dólares para se casar com o namorado, foge em meio a uma tempestade e decide passar a noite em um hotel. Daí em diante, o que parece ser uma simples estadia no local se torna uma verdadeira noite de terror, até hoje relembrada como grande validadora do gênero, construída a partir do belo, do artístico e da técnica típicos de seu diretor. Já “O Iluminado” é marcado pela união de Kubrick a Stephen King, Jack Nicholson, espíritos, aparições e arrepios, portanto, impossível não se tornar sinônimo de assombro. O longa é protagonizado pelo escritor alcoólatra Jack Torrance, que se torna caseiro de um isolado hotel para fugir do bloqueio criativo. Ele começa a descobrir os segredos sombrios do estabelecimento e a se transformar em um maníaco homicida que aterroriza a sua família. Nicholson ganhou um Saturn Award de Melhor Ator Coadjuvante em Cinema por sua icônica atuação, que até hoje aterroriza a humanidade e está no imaginário da cultura pop.

Reprodução

5. “O Labirinto do Fauno” (2006)

Um clássico moderno, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e de Melhor Roteiro Original, “O Labirinto do Fauno” veio representar a fantasia do jeito que mais apreciamos: obscura, vigorosa e reveladora, engajada. A história começa em 1944, na Espanha, quando a jovem Ofélia e sua mãe doente chegam ao posto do novo marido de sua mãe, um sádico oficial do exército que está tentando reprimir uma guerrilheira. Enquanto explorava um labirinto antigo, Ofélia encontra o Pan fauno, que diz que a menina é uma lendária princesa perdida e que ela precisa completar três tarefas perigosas a fim de se tornar imortal. Reunindo o horror tanto da realidade quanto da fantasia numa fábula extraordinária, o filme reafirma a capacidade de Guillermo del Toro de nos fazer refletir a partir da imaginação, estimulando a humanidade que nos define.


É lógico que existem muitos outros filmes que ajudaram a moldar a história da ficção especulativa, e seria quase impossível listar todos aqui, mas acreditamos que esse é um resumo (e, como todo resumo, um ato falho) que ajuda a deixar você por dentro do nosso estilo. Então, se gostou, clique aqui e venha fazer parte do nosso clube; e não deixe também de nos contar qual filme você acha que ficou faltando na nossa lista!

Up Next:

O que é ficção especulativa?

O que é ficção especulativa?